Suzano tem proposta para entrar no capital da Fibria

Image result for suzano papel e celulose

As conversas entre Suzano Papel e Celulose e Votorantim, que visam à combinação de negócios com a Fibria, partem de um modelo que, se concretizado, dará o protagonismo dessa indústria à família Feffer, uma ambição antiga daqueles que foram pioneiros em celulose de eucalipto. A operação – ainda em fase bastante inicial de negociação – pode marcar ainda o início da saída dos Ermírio de Moraes de um setor que consolidou em sucessivas transações até 2008.

A estrutura do negócio desejado prevê que, antes da união societária das duas companhias, a Suzano ingresse no bloco de controle da Fibria, por meio da compra de parte das ações detidas tanto por Votorantim como pela BNDES Participações. Para esse primeiro passo, a Suzano já teria garantido recursos disponíveis de US$ 2,5 bilhões, financiados por Itaú e Bradesco.

O objetivo desse formato é que a Suzano Holding e a família Feffer fiquem com algo entre 30% e 35% da empresa resultante, em posição bastante superior ao que ficariam Votorantim e BNDESPar.

No desenho da empresa combinada, os Feffer ficariam com até 35% e Votorantim e BNDESPar perto de 10% cada um

Para tanto, Suzano compraria ações dos sócios controladores até 25%. Esse percentual limite é dado pela cláusula no estatuto da Fibria que dispararia uma obrigação de que o comprador faça uma oferta pública para comprar todas as ações da empresa no mercado. Imediatamente após a compra, deve ser realizada a combinação societária das empresas, por meio de incorporação de ações.

Votorantim e BNDESPar têm, cada um, 29% da Fibria. Venderiam parte relevante de seus papéis para acomodar no bloco de controle a Suzano. Quando as conversas tiveram início, no ano passado, uma participação de 24% (limite estatutário) da Fibria estava em torno de R$ 7 bilhões, na bolsa. Ontem, esse valor já havia subido para quase R$ 10 bilhões.

Se a Suzano conseguisse adquirir a maior fatia possível, os Feffer ficariam com até 35% da empresa combinada e Votorantim e BNDESPar perto de 10% cada um – com pequena diferença a mais para o BNDES, devido aos 6,8% que o banco detém na Suzano.

Contudo, o passar do tempo e o vazamento de informações estão tornando a transação cada vez mais desafiadora. O mercado tem reagido positivamente à transação. Logo após a Suzano ter migrado para o Novo Mercado, a soma do valor de mercado delas equivalia a R$ 52 bilhões. Ontem, juntas as companhias valiam R$ 60 bilhões (R$ 34,5 bilhões da Fibria e R$ 25,2 bilhões de Suzano). Ou seja, diante da perspectiva do negócio, os investidores já puseram a transação no preço dos papéis em bolsa, num total de R$ 8 bilhões.

Pela estrutura que está na mesa das empresas, ainda em fase inicial de conversas, Votorantim e BNDESPar poderão vender suas fatias no mercado mais à frente.

O modelo desenhado para o negócio parte do desejo do grupo Votorantim de vender e monetizar a Fibria. A saída estruturada permite que o grupo faça isso de forma gradual.

Em tese, a BNDESPar já poderia ter reduzido sua fatia na Fibria, assim como fez na Suzano nos últimos anos. Na renovação do acordo de acionistas, em 2014, o braço de participações do BNDES comprometeu-se a manter uma fatia mínima na companhia até 2019, mas se desfez de muito pouco até agora.

Desde outubro, a participação “compulsória” é de 10,3%. Isso equivale a quase um terço da posição atual, de 29,08%. Em 2014, a fatia da BNDESPar era de 30,38%. Na Suzano, dos 11,1% do capital total (por meio de 16,4% das ações PNA) em 2014, hoje detém 6,86%.

Os resultados da Fibria são reconhecidos no balanço da Votorantim S.A. por equivalência patrimonial. De janeiro a setembro, o ganho do grupo nessa linha foi de R$ 833 milhões, dos quais 28,6% provenientes da produtora de celulose – R$ 238 milhões. No mesmo período, o lucro líquido do conglomerado ficou em R$ 528 milhões (R$ 479 milhões atribuíveis aos acionistas controladores).

Nos últimos anos, o grupo Votorantim vem reavaliando seus ativos e tem sinalizado que algumas áreas não têm vez na estratégia de longo prazo. Banco, suco de laranja, aço e celulose e até alumínio estariam entre os prováveis desinvestimentos. No Brasil, já se desfez do negócio de siderurgia, vendido à ArcelorMittal. As apostas continuariam em cimento, mineração de zinco e cobre, energia renovável e novos negócios.

Um dos maiores e mais antigos grupos industriais do país, a Votorantim teve receita bruta de R$ 31,5 bilhões em 2016 – o balanço consolidado do ano passado ainda não foi divulgado. Além de Fibria, é investidor em outras sete empresas: Votorantim Cimentos, Nexa Resources (ex-Votorantim Metais), Votorantim Siderurgia, Votorantim Energia, Companhia Brasileira de Alumínio (CBA), Citrosuco e Banco Votorantim.

Votorantim e Suzano informaram que não comentam o assunto.

O presidente do BNDES, Paulo Rabello de Castro, disse ao Valor que a instituição está estudando a possível associação entre Fibria e Suzano com “muito interesse”. Ele afirmou que esse interesse se dá na condição de investidor (o banco é sócio das duas companhias). “Não podemos deixar de fazer o trabalho mais aprofundado possível [sobre os impactos de uma eventual associação].”

Rabello de Castro acrescentou que nesse tipo de operação, o banco tem um segundo olhar: “Olhamos o desenvolvimento do setor e, de alguma forma, para o interesse nacional a longo prazo em termos de crescimento e consolidação da atividade.” Ele afirmou que BNDESPar não concluiu a análise sobre a operação. E que pretende reunir-se com executivos de ambas empresas na próxima semana para “ouvi-los”.

 (Colaborou Francisco Góes, do Rio) Por Graziella Valenti e Stella Fontes | De São Paulo

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s