E se você pudesse pedir qualquer coisa por delivery? Startup de Curitiba chega em São Paulo com essa proposta

Sabe quando você decide cozinhar aquela receita que está morrendo de vontade e no meio do processo lembra que está faltando um ingrediente? Foi exatamente da falta de sal e pimenta do reino que nasceu uma super ideia de negócio.

Juliano Hauer, Lucas Ceschin, Eduardo Petrelli e Ivo Roveda, ambos de Curitiba, estavam estudando Finanças e Administração na UC Berkeley Extension, na Califórnia em 2016, quando passaram pela situação acima. “Quando começamos a cozinhar percebemos que havíamos esquecido de comprar sal e pimenta do reino e como tudo nos EUA fica longe, você sempre precisa de um carro para ir de um lugar a outro. Pedimos um táxi, fomos até o supermercado, compramos as coisas, pegamos outro táxi e continuamos a cozinhar. Neste momento pensamos: e se eu pudesse pedir para alguém comprar a pimenta e entregar onde eu estiver? E se eu pudesse pedir delivery de qualquer lugar? E se o delivery não fosse do restaurante, da pizzaria, do supermercado, mas fosse meu?”, argumenta Lucas.

Foi aí que surgiu o James…

A missão do James é unir pessoas que têm pouco tempo para comprar as coisas que precisa com outras pessoas que querem ganhar uma grana extra para comprar e entregar estes bens em minutos. É isso mesmo, através do aplicativo você pode pedir o perfume, o tempero que você precisa, o cartucho para a impressora, a comida do cachorro e até flores para presentear alguém e receber tudo em poucos minutos.

“Já entregamos uma churrasqueira portátil, a terceira temporada de GOT em DVD, viagra, livros, flores e, no Natal, entregamos um uniforme completo de time de futebol para uma criança. Um item que tem saído muito no James é teste de gravidez, que sempre vem com uma anotação ‘o mais efetivo’”, conta Lucas.

E como grande parte dos pedidos do app são customizados, a sua frota de entregadores também são diferenciadas. Segundo Lucas, a maior parte dos James são universitários que fazem entregas como forma de incrementar a própria renda. Para a seleção é feito um estudo e são solicitados alguns documentos. Os James também são avaliados em todas as entregas pelos próprios clientes. Outro dado importante é que 70% da sua frota é formada por bicicletas, o que torna as entregas ecologicamente responsáveis.

Eles fizeram uma conexão com o Google e assim conseguem saber a localização exata do lugar onde o cliente fizer o pedido. A startup cobra 10% acima do valor do produto nas compras realizadas e os entregadores recebem pela distância percorrida. A entrega mínima custa R$6,99.

O James está operando desde maio de 2016 em Curitiba, em abril de 2017 expandiu para Balneário Camboriú (SC) e agora acaba de lançar seu serviço em São Paulo. O app está disponível para IOS e Android. “São Paulo foi a escolha natural para nossa expansão nacional. A cidade é muito ‘vertical’, o que é perfeito para o delivery que realizamos. Iniciaremos com as regiões de Vila Olímpia, Itaim Bibi, Jardim Europa, Jardins e parte de Pinheiros no primeiro mês. O projeto é de atender a maior parte da cidade até o final deste ano”, destaca Lucas.

Desenvolvimento

A startup nunca passou por um processo de aceleração, mas já recebeu investimentos-anjo de valor não divulgado e segundo Lucas, muitas pessoas contribuíram na trajetória do James, com destaque para Chok Ooi, o maior mentor da startup. O Chok é fundador de uma software house com sede em Manhattan e entende como poucas pessoas o mundo da tecnologia e dos negócios.

“Ele criou uma empresa do zero e hoje tem mais de 300 funcionários espalhados pelo mundo. Sempre que precisamos de ajuda em algum ponto voltamos a conversar com ele. Por mais que ele more em Nova Iorque, temos calls mensais de estratégia conjunta. Ele também foi o nosso primeiro investidor, e apostou na ideia muito antes de abrirmos o nosso CNPJ”.

A stratup tem agora 15 pessoas na equipe e os sócios fundadores (foto abaixo) têm formações diferentes. Juliano é administrador, Eduardo e Ivo são engenheiros de produção e Lucas é advogado. Para eles, o curso que realizaram no Vale do Silício foi realmente um divisor de águas, pois aprenderam o que são empresas escaláveis, a colocar o cliente em primeiro lugar, e conseguiram absorver um pouco do mindset do Vale do Silício.

“O Vale é a meca da inovação e coisas como ‘San Francisco é a Florença durante o período da Renascença’ são jargões frequentes. Tudo lá acontece em outra velocidade, negócios são criados e destruídos em tempo recorde. É preciso aprender com eles e pensar em como podemos operar estes conceitos e aplicar na nossa realidade brasileira. O que mais nos chamou a atenção foi a tranquilidade com que os empreendedores lidam com o risco, é fascinante! Para ser inovador, necessariamente você tem que arriscar, e lá é o lugar em que a equação ‘risco X recompensa’ é entendida em sua essência. Outra coisa que existe por lá é o ‘vírus’ que faz com que as pessoas corram atrás do próprio sonho. Nós fomos atacados por este vírus, e não conseguimos nos livrar dele”.

Quando Lucas comentou sobre o tal vírus, lembrei de uma vez que fui em um evento e uma frase de José Papo, Developer and Startup/VC Relations Manager do Google, ficou na minha cabeça: “Pensem naquilo que não é acreditável, aquilo que muitas vezes pode parecer uma loucura, que não vai dar certo, muitas vezes pode funcionar”. Como diz Larry Page, “We need revolutionary change, not incremental change”.

E é exatamente isso, se pararmos para pensar, não faz muito tempo que entrar em um carro de uma pessoa desconhecida, alugar a casa de alguém para o fim de semana com facilidade ou assistir o conteúdo que você quiser quando e onde quiser, pareciam coisas difíceis de acontecer. E por que não criar um delivery que entrega praticamente tudo em alguns minutos?

“O maior desafio do James é transmitir a nossa proposta de valor. Somos um delivery particular, compramos qualquer coisa, de qualquer lugar e entregamos em minutos. A maior parte das pessoas está acostumada com o delivery de restaurantes em que o motoboy sempre faz a entrega da mesma coisa. Este é o mesmo delivery que o pessoal utilizava quando ia até a geladeira olhar o número da pizzaria no imã grudado e ligava para fazer o pedido. O James é capaz de entregar qualquer produto que possamos comprar na cidade e entregar de bike, carro ou moto. São muitas possibilidades e algumas pessoas demoram para acreditar que com um app é possível fazer tudo isso”, conclui Lucas.

 

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: