BNDES reserva para investir em startups R$ 170 mi em 2013

O BNDES (Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social) reservou para 2013 ao menos R$ 170 milhões para investimento em empresas emergentes inovadoras, as chamadas startups.

O benefício será concedido a 36 empresas por meio do Criatec. É um fundo de capital semente desenvolvido em 2007 pelo banco e outras instituições e operado por gestores regionais e que em 2013 chega à sua terceira edição.

A segunda edição, lançada em agosto, está na fase de seleção dos gestores e das empresas. O único critério para participação das startups é ter tido faturamento líquido anual de até R$ 10 milhões no ano anterior ao da seleção.

“O objetivo do Criatec é garantir financiamento a startups que estão no zero e não despertam interesse de investidor por causa do faturamento”, diz Márcio Spata, que coordena o fundo no BNDES.

O investimento é de longo prazo, de até dez anos. Após obter valor de mercado elevado, a empresa pode ser vendida. O valor da negociação é rateado, e o investimento, pago ao banco. Da primeira edição do Criatec, em quatro anos, uma das 36 empresas foi vendida, e outras duas, renegociadas entre os sócios.

Para o Criatec 2, o BNDES limitou sua participação a R$ 136 milhões. O BNB (Banco do Nordeste do Brasil) entrou com R$ 30 milhões, enquanto o Badesul e o BDMG (Banco de Desenvolvimento de Minas Gerais) aportaram, cada um, R$ 10 milhões.

Os Estados escolhidos foram Rio Grande do Sul, São Paulo, Minas Gerais, Rio de Janeiro e os conjuntos formados por Distrito Federal e/ou Goiás, e Bahia e/ou Ceará e/ou Rio Grande do Norte.

Para o Criatec 3, o BNDES os Estados escolhidos foram São Paulo, Minas Gerais, Rio e os conjuntos formados por Paraná e/ou Santa Catarina, Amazonas e/ou Pará e Pernambuco e/ou Paraíba.

Segundo Spata, os Estados são escolhidos de acordo com o potencial de desenvolvimento das startups. “Mas o fundo poderá ter mais polos de atuação, inclusive fora das localidades, desde que aprovados por seu comitê.”

PRODUTOS

As empresas participantes da primeira edição do Criatec têm disponível no mercado 588 produtos. Segundo o BNDES, 43 deles estão com patentes depositadas. Até agora, duas foram concedidas.

Uma delas à TMed, de Recife. O produto é o Bipsoro, um equipamento eletrônico que avisa a enfermagem a hora de trocar o soro injetado no paciente no hospital.

Segundo o diretor da empresa, Amando Guerra, 4.000 unidades do equipamento já foram comercializadas. A rede de hospitais D’Or, no Rio, tem os alertas de fim do soro. A TMed tem hoje faturamento anual de R$ 5 milhões.

Para participar do Criatec 2, é preciso entrar em contato com a Ícone Investimentos Ltda pelo telefone (11) 3034-1894. Não foi escolhido o gestor nacional para o Criatec 3.

fonte: folha on line

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s